As perguntas do Joãozinho

joãozinho

O Joãozinho vai à pesca com o pai e pergunta-lhe:

– Pai, como é que os peixes respiram debaixo de água?

– Não sei, filho.

Pouco depois:

– Pai, porque é que os barcos não afundam?

– Também não sei, meu filho.

E o Joãozinho insiste:

– Pai, porque é que o céu é azul?

– Isso eu também não sei, filho.

– Pai, chateia-te eu estar sempre a fazer estas perguntas, não é?

– Claro que não, filho! Se tu não perguntares, nunca vais aprender nada.

– …

O discurso de um pai quando entrega a sua filha

Tubarão Gourmet

Dois enormes tubarões brancos observavam os sobreviventes de um naufrágio.

– Siga-me, filho. – disse o tubarão pai para o filho.

E nadaram até aos náufragos.

– Primeiro vamos nadar em volta deles com apenas a ponta das nossas
barbatanas aparecendo fora da água.

E assim eles fizeram.

– Muito bem, meu filho! Agora vamos nadar ao redor deles, algumas
vezes, com nossas barbatanas todas de fora.

E assim eles fizeram.

– Agora nós podemos comê-los a todos eles.

E assim eles fizeram.

Quando finalmente se saciaram, o filho perguntou:

– Pai, por que é que nós não os comemos logo de início? Por que
ficámos nadando ao redor deles várias vezes?

O sábio e experiente pai respondeu então:

– Porque ficam muito mais saborosos sem m*erda lá dentro…

Somente uma mãe saberia

Era eu pequenina, tinha cerca de uns 2 anos e meio e fiquei uma tarde sozinha com o meu pai. Tinham-me dado um serviço de chá em miniatura e era um dos meus brinquedos favoritos.

O meu pai estava na sala a ver as notícias, quando eu lhe levei uma chávena de chá, que na realidade era apenas água. Várias chávenas de chá depois, eu continuava a receber elogios entusiasmados a cada chávena servida.

Foi então que a minha mãe chegou.

O meu pai disse-lhe para se sentar na sala para me ver a trazer a chávena de chá, porque era a coisa mais fofa do mundo! A minha mãe esperou e então, lá vinha eu pelo corredor com uma chávena de chá para o meu pai.

A minha mãe viu-o beber o chá todo e depois disse-lhe aquilo que apenas uma mãe saberia:

– Passou-te pela cabeça que o único lugar onde ela alcança água é na sanita?

Afinal sempre houve resposta para o “porquê?” das crianças

A melhor resposta para dar às crianças quando mandamos fazer qualquer coisa
e nos perguntam PORQUÊ mãe/pai…

MÃE: VAI JÁ ARRUMAR O TEU QUARTO?
FILHO: Não vou!
MÃE: Tens de ir! Eu estou a mandar!
FILHO: E porque é que tenho de fazer o que tu dizes?
MÃE: Está no Código Civil Português, ARTIGO 128º .

(ARTIGO 128º – Dever de obediência)
Em tudo o quanto não seja ilícito ou imoral, devem os menores não
emancipados obedecer a seus pais ou tutor e cumprir os seus preceitos.

Respostas inteligentes de alunos portugueses!!!

professor

Para aqueles que dizem mal do ensino, respostas inteligentes… claro, de alunos portugueses!!!

Divisão:
Professor: – O que devo fazer para repartir 11 batatas por 7 pessoas ?
Aluno: – Puré de batata, senhor professor !

Verbos:
Professor: – Se és tu a cantar, dizes: ‘eu canto’. Se for o teu irmão que canta, como é que dizes ?
Aluno: – Cala a boca, Alberto.

Castigos:
– ‘Professora’, alguém pode ser castigado por uma coisa que não fez ?
– Não.
– É que eu não fiz os trabalhos de casa.

Verbos:
Professor: – Joaquim, diga o presente do indicativo do verbo caminhar.
Aluno: – Eu caminho… ah… ….tu caminhas… ah…ele caminha…
Professor: – Mais depressa ! Aluno: – Nós corremos, vós correis, eles correm !

Professor: – Chovia que tempo é ?
Aluno: – É tempo muito mau, senhor professor.

Professor: – De onde vem a electricidade ?
Aluno: – Do Jardim Zoológico !
Professor: – Do Jardim Zoológico ?
Aluno: – Pois! O meu pai, quando falta a luz em casa, diz sempre: – ‘Aqueles camelos…’.

Ciências:
Professor: – Quantos corações temos nós ?
Aluno: – Dois, senhor professor.
Professor: – Dois !?
Aluno: – Sim, o meu e o seu !

Dois alunos chegam tarde à escola e justificam-se:
1º Aluno: – Acordei tarde, senhor professor! Sonhei que fui à Polinésia e demorou muito a viagem.
Professor: – Então, e tu!
2º Aluno: – E eu fui esperá-lo ao aeroporto!

Professor: – Pode dizer-me o nome de cinco coisas que contenham leite ?
Aluno: – Sim, senhor professor: Um queijo e quatro vacas.

Um aluno de Direito a fazer um exame oral:
Professor: – O que é uma fraude ?
Aluno: – É o que o sr. professor está a fazer.
Professor: – (O professor muito indignado) Ora essa, explique-se…
Aluno: – Segundo o Código Penal comete fraude todo aquele que se aproveitar da ignorância do outro para o prejudicar!!!

afinal, o que é apolítica?

escola

Um pai. Um miúdo de 11 anos. Um trabalho escolar.

Pai, preciso fazer um trabalho para a escola! Posso fazer-te uma pergunta? Claro, meu filho, qual é a pergunta?

O que é a política, pai?
– Bem,política envolve: Povo; Governo; Poder económico; Classe trabalhadora; Futuro do país…
– Não entendi nada. Dá para explicares melhor?
-Bem, vou usar a nossa casa como exemplo:Sou eu quem traz dinheiro para casa: então eu sou o poder económico. A tua mãe administra, gasta o dinheiro: então ela é o governo. Como nós cuidamos das tuas necessidades, tu és o povo. O teu irmãozinho é o futuro do país e a Zefinha, a nossa criada, é a classe trabalhadora. Entendeste, filho?

– Mais ou menos, pai. Vou pensar.

Naquela noite, acordado pelo choro do irmãozinho, o menino, foi ver o que havia de errado. Descobriu que o irmãozinho tinha sujado a fralda e estava todo emporcalhado. Foi ao quarto dos pais e viu que a mãe estava num sono muito profundo. Foi ao quarto da criada e viu, através da fechadura, o pai na cama com ela. Como os dois nem ouviram o menino a bater à porta, ele voltou para o quarto e adormeceu.

Na manhã seguinte, à hora do café, o miúdo falou com o pai:
-Pai, agora acho que entendi o que é a política.
– Óptimo filho! Então explica- me com palavras tuas.
– Bom, pai, acho que é assim: Enquanto o poder econômico f*** a classe trabalhadora, o governo dorme profundamente… O povo é totalmente ignorado e o futuro do país fica na merda!!!

Um pai com três filhos

Um pai com 3 filhos.

O mais velho pediu:

-Oh pai, queria 1 carro,na faculdade só eu não tenho!

-Só quando eu pagar o tractor.

Vem o outro:

-Oh pai quero uma moto!

-Só quando eu pagar o tractor.

A seguir vem o mais novo.

-Pai quero uma bicicleta!

-Só quando eu pagar o tractor.

O miudo vai pro quintal amuado, vê o galo em cima da galinha, da-lhe um ponta-pé e diz:

-Nesta casa enquanto o pai não pagar a merda do tractor anda tudo a pé!!!

A arte de negociar... ou não é só cá...

PAI – escolhi uma óptima mulher para você casar.
FILHO – Mas, pai, eu prefiro escolher a minha mulher.
PAI – Meu filho, ela é filha do Bill Gates…
FILHO – Bem, neste caso, eu aceito.

Então, o pai negociador vai encontrar-se com o Bill Gates.
PAI – Bill, eu tenho o marido ideal para a sua filha!
BILL GATES – Mas a minha filha é muito jovem para casar!
PAI – Mas este jovem é vice-presidente do Banco Mundial…
BILL GATES – Neste caso, tudo bem.

Finalmente, o pai negociador vai ao Presidente do Banco Mundial.
PAI – Sr. Presidente, eu tenho um jovem recomendado para ser vice-presidente do Banco Mundial.
PRES. BANCO MUNDIAL – Mas eu já tenho muitos vice-presidentes, mais do que o necessário.
PAI – Mas, Sr. Presidente, este jovem é genro do Bill Gates.
PRES. BANCO MUNDIAL – Neste caso ele pode começar amanhã mesmo!

Moral da história: Não existe negociação perdida. Tudo depende da estratégia.

Diferenças

escola
professor
professora

Situação: O fim das férias.

Ano 1978: Depois de passar 15 dias com a família atrelada numa caravana puxada por um Fiat 600 pela costa de Portugal, terminam as férias. No diaseguinte vai-se trabalhar.

Ano 2008: Depois de voltar de Cancún de uma viagem com tudo pago, terminam as férias. As pessoas sofrem de distúrbios de sono, depressão, seborreia e caganeira.

Situação: Chega o dia de mudança de horário de Verão para Inverno.

Ano 1978: Não se passa nada.

Ano 2008: As pessoas sofrem de distúrbios de sono, depressão e caganeira.

Situação: O Pedro está a pensar ir até ao monte depois das aulas, assim que entra no colégio mostra uma navalha ao João, com a qual espera poder fazer uma fisga.

Ano 1978: O director da escola vê, pergunta-lhe onde se vendem, mostra-lhe a sua, que é mais antiga, mas que também é boa.

Ano 2008: A escola é encerrada, chamam a Polícia Judiciária e levam o Pedro para um reformatório. A SIC e a TVI apresentam os telejornais desde a porta da escola.

Situação: O Carlos e o Quim trocam uns socos no fim das aulas.

Ano 1978: Os companheiros animam a luta, o Carlos ganha. Dão as mãos e acabam por ir juntos jogar matrecos.

Ano 2008: A escola é encerrada. A SIC proclama o mês anti-violência escolar, O Jornal de Notícias faz uma capa inteira dedicada ao tema, e a TVI insiste em colocar a Moura-Guedes à porta da escola a apresentar o telejornal, mesmo debaixo de chuva.

Situação: O Jaime não pára quieto nas aulas, interrompe e incomoda os colegas.

Ano 1978: Mandam o Jaime ir falar com o Director, e este dá-lhe uma bronca de todo o tamanho. O Jaime volta à aula, senta-se em silêncio e não interrompe mais.

Ano 2008: Administram ao Jaime umas valentes doses de Ritalin. O Jaime parece um Zombie. A escola recebe um apoio financeiro por terem um aluno incapacitado.

Situação: O Luis parte o vidro dum carro do bairro dele. O pai caça um cinto e espeta-lhe umas chicotadas com este.

Ano 1978: O Luis tem mais cuidado da próxima vez. Cresce normalmente, vai à universidade e converte-se num homem de negócios bem sucedido.

Ano 2008: Prendem o pai do Luís por maus-tratos a menores. Sem a figura paterna, o Luís junta-se a um gang de rua. Os psicólogos convencem a sua irmã que o pai abusava dela e metem-no na cadeia para sempre. A mãe do Luís começa a namorar com o psicólogo. O programa da Fátima Lopes mantém durante meses o caso em estudo, bem como o Você na TV do Manuel Luís Goucha.

Situação: O Zézinho cai enquanto praticava atletismo, arranha um joelho. A sua professora Maria encontra-o sentado na berma da pista a chorar. Maria abraça-o para o consolar.

Ano 1978: Passado pouco tempo, o Zézinho sente-se melhor e continua a correr.

Ano 2008: A Maria é acusada de perversão de menores e vai para o desemprego. Confronta-se com 3 anos de prisão. O Zézinho passa 5 anos de terapia em terapia. Os seus pais processam a escola por negligência e a Maria por trauma emocional, ganhando ambos os processos. Maria, no desemprego e cheia de dívidas suicida-se atirando-se de um prédio. Ao aterrar, cai em cima de um carro, mas antes ainda parte com o corpo uma varanda. O dono do carro e do apartamento processam os familiares da Maria por destruição de propriedade. Ganham. A SIC e a TVI produzem um filme baseado neste caso.

Situação: Um menino branco e um menino negro andam à batatada por um ter chamado ‘chocolate’ ao outro.

Ano 1978: Depois de uns socos esquivos, levantam-se e cada um para sua casa. Amanhã são colegas.

Ano 2008: A TVI envia os seus melhores correspondentes. A SIC prepara uma grande reportagem dessas com investigadores que passaram dias no colégio a averiguar factos. Emitem-se programas documentários sobre jovens problemáticos e ódio racial. A juventude Skinhead finge revolucionar-se a respeito disto. O governo oferece um apartamento à família do miúdo negro.

Situação: Fazias uma asneira na sala de aula.

Ano 1978: O professor espetava duas valentes lostras bem merecidas. Ao chegar a casa o teu pai dava-te mais duas porque ‘alguma deves ter feito’

Ano 2008: Fazes uma asneira. O professor pede-te desculpa. O teu pai pede-te desculpa e compra-te uma Playstation 3.

O Joãozinho entra no quarto e…

joãozinho

O Joãozinho entra no quarto e apanha o seu pai a colocar uma camisinha. O pai, muito embaraçado, tenta esconder a sua erecção e a camisinha, baixando-se para olhar debaixo da cama.

Joãozinho diz:

– O que estás a fazer, pai?

O pai responde:

– Acho que vi um rato debaixo da cama.

Joãozinho:

– E vais enrabá-lo ???