A Maria e o Tó

médico

A Maria e o Tó, estavam internados num hospital psiquiátrico.

Um dia, durante o seu passeio habitual, o Tó saltou para dentro da piscina e afundou-se de imediato.
Maria saltou rapidamente para a piscina e conseguiu salvá-lo.
Quando o director teve conhecimento do acto heróico da Maria, deu imediatamente ordem para que esta fosse dada como curada.
Mandou chamá-la e comunicou-lhe:
– Tenho boas e más noticias a comunicar-te: As boas são que vamos dar-te alta, visto teres demonstrado possuir capacidade racional para ultrapassares uma situação de crise, e salvares a vida de um doente. O teu acto mostra que estás recuperada!
– As más notícias são de que o Tó, depois de o teres salvado, enforcou-se na casa de banho com o cinto do roupão, lamentamos imenso, mas está morto!
E a Maria respondeu:
– Ele não se suicidou, eu é que o pendurei a secar!

A morte do padre

médico
padre

O velho padre, durante anos, tinha trabalhado fielmente com o povo africano, mas voltou a Lisboa, doente e moribundo. No Hospital de Santa Maria, é a notícia da hora.

Já nos últimos suspiros, ele faz um sinal à enfermeira, que se aproxima.

– Sim, Padre? diz a enfermeira.

– Eu queria ver dois proeminentes políticos antes de morrer: Cavaco Silva e Passos Coelho, sussurrou o padre.

– Sim, Padre, verei o que posso fazer, respondeu a enfermeira.

Ela entra em contacto com a Assembleia da República e logo recebe a notícia: ambos também gostariam muito de visitar o padre moribundo.

A caminho do hospital, Cavaco diz a Passos Coelho:

– Eu não sei porque é que o velho padre nos quer ver, mas certamente que isso vai ajudar a melhorar a nossa imagem perante a Igreja e o povo, o que é sempre bom. Passos Coelho concordou, naturalmente.

Era uma grande oportunidade para eles, em queda no nível de popularidade, pelo que até foi enviado um comunicado oficial à imprensa sobre a visita.

Quando chegaram ao quarto, com toda a imprensa presente, o velho padre pegou na mão de Cavaco Silva, com sua mão direita e na mão de Passos Coelho, com sua esquerda.

Houve um grande silêncio e notou-se um ar de pureza e serenidade no semblante do padre.

Passos Coelho, morto de curiosidade, pergunta:

Padre, porque é que fomos nós os escolhidos, entre tantas pessoas, para estar ao seu lado, no seu fim?

O Padre, lentamente, disse:

– Sempre, em toda a minha vida, procurei ter como modelo o Nosso Senhor Jesus Cristo.

– Amém, diz Aníbal.

– Amém, diz Passos.

E o Padre concluiu:

– Então… como Ele morreu entre dois ladrões, eu quero fazer o mesmo!!!

Pão alentejano ….

alentejano
corno
médico
Um enfermeiro casado do Hospital de Santa Maria, estava namorando uma médica e ao fim de algum tempo ela ficou grávida!

Ele disse-lhe que assumia a paternidade da criança, mas que não queria que sua mulher soubesse do que se tinha passado.

Ela aceitou e por questões da sua privacidade, pediu a transferência para o Hospital de Évora.

No entanto voltou-se para ele e perguntou-lhe:

– Como te aviso quando o bebe nascer?

– Manda um postal e escreve só ”Pão alentejano".

Passaram-se alguns meses, quando o enfermeiro chega a casa, a esposa disse-lhe:

– Recebeste um postal de Évora mas eu não consigo entender o significado da mensagem.

Ele leu o postal e caiu no chão com um violento ataque cardíaco.

Foi levado imediatamente para as urgências.

O cardiologista perguntou à esposa:

– Aconteceu alguma coisa de anormal que possa ter causado este ataque cardíaco?

– Não!

– Ele apenas leu este cartão postal que diz:

DOIS PÃES ALENTEJANOS: UM COM CHOURIÇO OUTRO SEM.

Tem notícias do Celso ?

médico

– Bom dia, é da recepção? Eu gostaria de falar com alguém que me desse
informações sobre um paciente. Queria saber se certa pessoa está melhor ou
piorou…

– Qual e o nome do paciente ?

– Chama-se Celso e está no quarto 302.

– Um momentinho, vou transferir a ligação para o setor de enfermagem…

– Bom dia, sou a enfermeira Lourdes. O que deseja ?

– Gostaria de saber as condições clínicas do paciente Celso do quarto 302,
por favor !

– Um minuto, vou localizar o médico de plantão.

– Aqui é o Dr. Carlos plantonista. Em que posso ajudar ?

– Olá, doutor. Precisaria que alguém me informasse sobre a saúde do Celso
que está internado há três semanas no quarto 302.

– Ok, meu senhor, vou consultar o prontuário do paciente… Um instante só
! Hummm ! Aqui está: ele se alimentou bem hoje, a pressão arterial e pulso
estão estáveis, responde bem à medicação prescrita e vai ser retirado do
monitor cardíaco até amanhã. Continuando bem, o médico responsável assinará
alta em três dias.

– Ahhhh, Graças a Deus! São notícias maravilhosas ! Que alegria !

– Pelo seu entusiasmo, deve ser alguém muito próximo, certamente da família
!?

– Não, sou o próprio Celso telefonando aqui do 302 ! É que todo mundo
entra e sai desta merda deste quarto e ninguém me diz porra nenhuma. Eu só
queria saber como estou…

Enfermeiro angolano…!

Zé Cruz era enfermeiro de uma Unidade de Cuidados Intensivos e, tratava de
uma mulher internada em estado de paralisia total.
Meses depois ela aparece grávida, para o espanto de todos!
A Direcção do Hospital reuniu-se e apresentou queixa, para descobrir o
culpado.
A polícia, então, interrogou o Joaquim:
– O senhor era o enfermeiro da paciente grávida?
– Sim sinhori…
– E foi você que engravidou a moça?
– Foi sim sinhori, mas só fiz por ordem do Hospital e cumpri certinho o que
estava escrito no boletim médico da paciente.
– Como assim? O que estava escrito no boletim médico?
O Joaquim, então, retirou uma cópia do relatório e leu:
“Mulher, 32 anos, inerte, não reage a nenhum estímulo. –

COMA!”

O Cunhado


Uma edificante história, envolvendo a luta pela vida, religiosidade,

crença e fé.

Em São Paulo, um cara passou mal no meio da rua, caiu, e foi levado

para o sector de emergência de um hospital particular, pertencente à

Universidade Católica, e administrado totalmente por Freiras.

Lá, verificou-se que teria que ser urgentemente operado no coração, o

que foi feito com êxito.

Quando acordou, a seu lado estava a Freira responsável pela tesouraria

do hospital e que lhe disse prontamente:

– Caro Senhor, sua operação foi bem sucedida e o Senhor está salvo.

Entretanto, um assunto precisa sua urgente atenção: como o Senhor

pretende pagar a conta do hospital? O Senhor tem seguro-saúde?

– Não, Irmã.

– Tem cartão de crédito?

– Não, Irmã.

– Pode pagar em dinheiro?

– Não tenho dinheiro, Irmã.

– Em cheque, então?

– Também não, Irmã.

– Bem, o senhor tem algum parente que possa pagar a conta?

– Ah… Irmã, eu tenho somente uma irmã solteirona, que é freira, mas

não tem um tostão.

E a Freira corrigindo-o:

– Desculpe que lhe corrija, mas as freiras não são solteironas, como o

senhor disse. Elas são casadas com Deus!

– Magnífico! Então, por favor, mande a conta p’ro meu cunhado!

E foi então que nasceu a expressão: “Deus lhe pague”.

Joaquim JOAQUIM!!!!

Joaquim era auxiliar de serviço médico de uma Unidade de Cuidados Intensivos e tratava de uma mulher internada em estado de paralisia total.

Nove meses depois ela aparece grávida, para o espanto de todos.

A Direcção do Hospital reportou o incidente ao Ministério Público. A PJ começou por interrogar o Joaquim:
– O senhor era o auxiliar de serviço médico da paciente grávida?
– Sim, Senhor…
– E foi o senhor então quem engravidou a moça?!
– Foi sim, senhor, mas só fiz por ordem do Hospital e cumpri rigorosamente o que estava escrito na prancheta da paciente.
– Como? O que é que estava escrito no boletim médico?

Joaquim retirou uma cópia do relatório e leu:
“Mulher, 32 anos, inconsciente, não reage a nenhum estímulo – “COMA”*

E… comeu!
Óhhh, Jakimmmm………