Família de Salazar

calabouço
polícia
salazar

Em pleno regime salazarista, um homem, perdido de bêbado, cantava em altas vozes à uma da manhã numa rua de Lisboa.

Um polícia aproximou-se dele.

– O senhor cale-se, para não acordar as pessoas!

– Vá cortar o cabelo!!!

– O quê??? Acompanhe-me à esquadra, se faz favor.

Já na esquadra, o chefe interroga-o:

– Então, o senhor está a perturbar o sono das pessoas e ainda diz ao meu subordinado para ir cortar o cabelo?

Perdido de bêbado, o homem responde:

– E você vá apanhar no cú!!!

– O QUÊ???

Passe para cá os seus documentos e vai passar a noite ali para o calabouço!

Na manhã seguinte, o chefe olhava preocupado para os documentos do homem:

– Ó Silva, chegue lá aqui. Olhe lá, o bêbado que nós prendemos ontem à noite chama-se José Manuel de Oliveira Salazar. Será familiar do nosso Presidente do Conselho? Vai-lhe lá perguntar, Silva.

O Silva foi e voltou pouco depois.

– Sim, meu chefe, ele diz que sim, que é sobrinho, e diz também que é afilhado do Dr. Oliveira Salazar.·

– Ai, meu Deus, e agora? O que é que nós vamos fazer?

– Olhe, chefe, eu vou cortar o cabelo… e o chefe… Pois… Terá de se desenrascar…

Leave a Reply

 

 

 

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>